CENTRAL DE ATENDIMENTO: 65 2128-5454
1º de dezembro – Dia mundial de combate a AIDS

1º de dezembro – Dia mundial de combate a AIDS

Organização mundial da saúde, OMS, criou a data em 1988 para alertar e conscientizar sobre o vírus.

Desde o fim da década de 80 a OMS determinou que em 1º de dezembro se comemorasse o dia mundial de combate a AIDS, esta doença foi detectada entre as décadas de 70 e 80, se espalhou rapidamente e causou mais de 1 milhão de óbitos pelo mundo. Recentemente a preocupação a respeito do tópico voltou aos holofotes após a constatação de um significante aumento de novos casos pelo mundo, sobre tudo em populações mais jovens.

 A AIDS é um estágio mais avançado do HIV e ataca o organismo de forma a interferir que ele se defenda, com o passar do tempo e sem o devido tratamento o portador do vírus se torna cada vez mais vulnerável à infecções e pode vir a falecer em decorrência de muitas.

O vírus é transmitido pelo contato com sangue infectado, sêmen ou fluidos vaginais, também pode ser transmitido de mãe para filho durante a gestação. O diagnóstico é feito através da coleta de sangue ou de fluido oral, é oferecido pela rede pública de saúde em várias cidades e seu resultado além de rápido é também sigiloso. Muitas vezes no recebimento do resultado a instituição oferece um acompanhamento para auxilio na interpretação dos testes e também apoio ao paciente. Estima-se que mais de 30 milhões de pessoas no mundo são portadoras do vírus, destes apenas 70% sabem do seu estado, e apenas 20 milhões delas tem acesso aos medicamentos anti-retrovirais, que ajudam no controle, uma vez que não há cura para a AIDS.

A infectologista Eva Grigoli fala sobre a AIDS.

Contrário ao senso comum uma pessoa portadora de AIDS pode levar uma vida normal, desde que tenha acesso aos medicamentos anti-retrovirais, que aliás são distribuídos gratuitamente no Brasil desse 1996, tenha os devidos cuidados de saúde básica e leve uma vida regrada, com alimentação saudável, visitas regulares a um médico e outros cuidados. Outro pensamento muito recorrente é o de que o vírus pode ser transmitido de forma facilitada, é preciso lembrar que ar, assentos compartilhados, piscinas, banheiros, toque, beijos e caricias, suor e lágrimas não transmitem o vírus e o portador pode até mesmo ter uma vida sexual ativa, desde que com os devidos cuidados e o uso correto dos preservativos.  Se você for um portador, lembre-se de comunicar ao seu parceiro a respeito da sua condição e orienta-lo também.

Grande parte dos casos se dá por transmissão através de ato sexual sem a devida proteção e por contato de objetos perfurocortantes infectados, por isso as campanhas de prevenção são muito focadas no uso do preservativo em relações sexuais, inclusive na pratica do sexo oral para ambos os sexos. Caso você tenha se descuidado é importante que procure uma unidade especializada, que faça os testes necessários e compreenda a importância da prevenção.

Cuide de você e de quem você ama, esse é o recado do novo Hospital São Judas, porque quando você precisar, nós estaremos aqui.

Texto: Tiago Ferreira/Assessoria

Fonte: ministério da saúde e OMS.

Fechar Menu